Uma boa conversa científica sempre se inicia com uma pergunta norteadora, então vamos lá:

"Qual é a importância das plantas para o homem?".

Para respondermos esta questão vamos discutir alguns elementos que estão em nosso próprio cotidiano. Se observarmos a composição do nosso prato no almoço ou jantar descreveremos pelo menos duas espécies de plantas: arroz e feijão. Mas, com certeza, compondo nossa dieta básica outras espécies de plantas serão elencadas: condimentares - alho, cebola, açafrão, pimenta, cheiro verde, alecrim, noz-moscada; ricas fontes de carboidratos - trigo, mandioca, batatinha, batata doce, milho, cana-de-açúcar; folhosas - alface, rúcula, brócolis, couve; oleaginosas - soja, canola, girassol, amendoim; fonte de nutrientes variados - abóbora, abobrinha, chuchu, couve-flor, beterraba, beringela; frutíferas - banana, maçã, pêra, mamão, manga, maracujá, limão, abacaxi.

Uau, só aqui elencamos mais de 30 espécies distintas! Portanto, já destacamos a primeira grande importância das plantas para o homem: as utilizamos em nossa alimentação!

 3) As plantas contribuem para a regulação do clima.

Percebemos a diferença que as plantas arbóreas proporcionam ao clima quando saímos de uma área descampada e entramos em uma área de mata. De imediato sentimos diferença na luminosidade, a floresta fechada limita a entrada de luz, o que ameniza a temperatura e aumenta a umidade.

Além disso, as plantas estão constantemente liberando água do solo para a atmosfera. Como assim? As plantas são seres vivos, portanto precisam muito de água. As plantas terrestres retiram a água das camadas subterrâneas do solo através das raízes. A água circula pelo corpo da planta até as folhas. E a folha é o principal órgão responsável pela fotossíntese. Para as plantas conseguirem realizar a fotossíntese elas precisam do gás carbônico obtido da atmosfera circundante pelas trocas gasosas, que ocorrem pelos estômatos, orifícios microscópios com abertura controlada. Ufa, tudo isso para falar que quando as plantas abrem os estômatos para fazer as trocas gasosas, inevitavelmente, elas também perdem água na forma vapor. Para a planta é um problema, mas para o homem é ótimo, pois em uma escala regional, a evapotranspiração das plantas regula o clima favorecendo a formação de nuvens, participando do ciclo da água.

Ainda podemos destacar a importância das plantas no fornecimento de fibras naturais, madeira e fármacos. Sim, a grande maioria dos medicamentos que utilizamos possuem princípios ativos extraídos de plantas ou são sintéticos produzidos a partir de compostos naturais vegetais.

Para além destes, nos beneficiamos com inúmeros serviços prestados pela vegetação, a saber: embelezamento das paisagens; contato com a natureza/ biodiversidade; manutenção das populações de polinizadores; biodiversidade de espécies e diversidade genética; ciclagem de nutrientes e manutenção do solo; regulação do clima (umidade, temperatura e precipitação), e participação no ciclo do carbono.

A seguir vamos detalhar alguns pontos:

1) As plantas mantém as populações de polinizadores. Insetos (abelhas-grandes e pequenas, com e sem ferrão; mariposas; borboletas; moscas, etc.), aves e mamíferos utilizam as plantas para se alimentarem, como abrigo, local para nidificação e acasalamento. Em contra partida os animais fazem a polinização das espécies nativas e também das espécies cultivadas próximas às áreas nativas, favorecendo a reprodução sexuada das plantas.

2) As plantas colaboram com a biodiversidade de espécies e diversidade genética.

​Só para o Cerrado estão catalogadas na literatura científica mais de 11 mil espécies vegetais. São árvores, arbustos, subarbustos, herbáceas e trepadeiras que compõem a paisagem nativa. O estrato subarbustivo-herbáceo abriga a maior biodiversidade de espécies. Para cada espécie de árvore há cerca de 5 espécies de plantas herbáceas. Sem falar na diversidade de bactérias e fungos associados às plantas.

 Assim, as plantas "sequestram" o carbono da atmosfera e o incorporam na biomassa, participando do ciclo do carbono. O tempo desse sequestro depende do tempo de vida da planta, ou do órgão vegetal, por exemplo, quando uma folha entra em senescência (envelhecimento), se desprende da planta e cai no solo os microrganismos decompositores entram em ação, reciclando vários dos elementos que estavam "sequestrados" nos compostos orgânicos e liberando GEE.

Do ponto de vista do tempo de vida, as árvores se destacam, pois podem viver várias décadas realizando a fotossíntese, ou seja, continuamente retirando o gás carbônico da atmosfera, bem como, mantendo o carbono sequestrado na biomassa vegetal viva. Vale ressaltar que as plantas respiram o oxigênio, e neste processo o gás carbônico é um dos produtos, portanto há um balanço entre emissão/liberação e dreno/retirada de gás carbônico da atmosfera. O papel das árvores no sequestro de carbono hoje é essencial para mitigar os impactos negativos do aquecimento global e manter inúmeros benefícios oferecidos por estes seres vivos na forma de "serviços ambientais".

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM CURTO PRAZO

1) ARATICUM - Daremos destaque para a espécie  Annona crassiflora Mart., mas no Cerrado também encontramos com frequência a espécie A. coriacea Mart. (ver foto abaixo).

FAMÍLIA: ANNONACEAE

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, corticeira e melífera.

É uma árvore, com altura entre 4 e 8m, casca áspera e cortiçosa, folhas simples alternas, flores axilares com pétalas carnosas, fruto ~15cm de diâmetro, 2kg de peso, sementes numerosas, elípticas, marrons (fotos do lado direito). Planta decídua e heliófita. Floração: setembro a novembro; Frutificação: maturação de fevereiro a abril.

Ampla distribuição no Cerrado, sendo encontrada nos estados de MG, MS, DF, GO, MT, PA, BA, PI, TO, MA, PR e SP.  Fitofisionomias: Cerradão e Cerrado sentido restrito. Sementes são dormentes devido à imaturidade do embrião, falta de giberelinas. Frutos apreciados pela polpa; consumo in natura, ou na forma de doces, geleias, sucos, licores, tortas, iogurtes e sorvetes.

Valor nutricional: Mg, P, Ca, Fe, Vitaminas A, C, B1, B2, Niacina e tanino. Frutos altamente perecíveis.

Produção de mudas via sementes. Sementes ortodoxas. As flores são polinizadas por besouros (ver foto abaixo).

 

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM CURTO PRAZO

3) CAGAITA - Eugenia dysenterica DC.  FAMÍLIA: MYRTACEAE

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, apícola, medicinal, melífera e ornamental.

É uma árvore com altura entre 4 e 10m (foto lado direito inferior - Manoel Cláudio), casca suberosa e fendada, folhas simples glabras opostas cruzadas, flores hermafroditas brancas (foto lado direito inferior), fruto baga globosa (foto abaixo), sementes 1 a 4.

Floração: em agosto (planta decídua); Frutificação: no início da estação chuvosa (RÁPIDA).

Ampla distribuição no Cerrado, sendo encontrada nos estados de SP, MG, BA, TO, MT, MS, PA, MA, PI, GO e DF. Fitofisionomias: Cerradão e Cerrado sentido restrito.

Polpa do fruto rica em vitaminas C e B2, e em minerais Ca, Mg e Fe. Frutos maduros são perecíveis.

Alta produtividade com até 2.000 frutos/árvore;

Produção de mudas via sementes, possui alta taxa de germinação. Sementes recalcitrantes, não permite armazenamento prolongado. Desenvolvimento inicial das plântulas que são criptocotiledonares (cotilédones ficam abaixo do solo e envolvidos pelo tegumento (foto lado direito inferior).

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM CURTO PRAZO

4) CAJU - Anacardium occidentale L. FAMÍLIA: ANACARDIACEAE

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, apícola, melífera, tanífera.

É uma árvore com altura entre 3 e 6m, folhas simples glabras alternas (foto do lado direito), flores hermafroditas e unissexuais, róseo-avermelhadas (foto do lado direito), fruto aquênio com pseudofruto (pedúnculo) (ver fotos lado direito).

Floração: junho a outubro; Frutificação: nos meses de setembro e outubro.

Ampla distribuição no Cerrado. Fitofisionomias: Mata, Cerrado sentido restrito, Cerradão e Campo sujo.

Usos variados da polpa do pseudofruto e também da castanha. Polpa rica em vitamina C, B1, B2, niacina;

Alta produtividade e alta taxa de germinação.

Produção de mudas via sementes, possui alta taxa de germinação e crescimento relativamente rápido (abaixo foto da plântula de caju).

 4) As plantas participam do ciclo do carbono.

O carbono é o elemento químico estrutural da composição das biomoléculas (proteínas, lipídios, carboidratos e ácidos nucleicos), ou seja, moléculas que compõem os seres vivos. As plantas, juntamente com os demais seres autotróficos que conseguem sintetizar moléculas orgânicas, normalmente retiram o carbono do gás carbônico presente na atmosfera.

As plantas fazem a incorporação do carbono às biomoléculas através da fotossíntese - síntese de compostos orgânicos por meio da energia luminosa.

É importante mencionar que nas últimas décadas o gás carbônico tem se destacado nos noticiários! Isso devido ao aquecimento global, ou seja, aumento significativo da temperatura do planeta devido, principalmente, às atividades antrópicas (causadas pelo homem). O gás carbônico é um dos principais gases causadores do efeito estufa (GEE - gases de efeito estufa). Cabe mencionar que o efeito estufa é um fenômeno natural que estabiliza a temperatura do planeta Terra possibilitando a existência de alta diversidade de seres vivos. Contudo, o aumento na concentração atmosférica dos GEE (dentre eles, gás carbônico, metano e óxido nitroso) é ruim, pois intensifica o efeito estufa e, consequentemente, causa o aumento no aquecimento global que tem sido prejudicial ao homem e causado impactos negativos a biodiversidade terrestre.

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS

De acordo com a literatura especializada, no Cerrado temos 1.534 espécies de árvores. Se somarmos a este quantitativo as arvoretas (299) e os arbustos (2.513), no componente lenhoso do bioma Cerrado podemos encontrar mais de 4 mil espécies! Na foto ao lado biólogos em campo estudando a vasta flora do Cerrado.

Com relação aos usos iremos focar nas espécies arbóreas, buscando discutir aquelas consideradas de usos múltiplos de acordo com José Felipe Ribeiro e colaboradores. Usos múltiplos diz respeito aos usos sustentáveis associados às espécies, para além do madeireiro no qual há necessidade de se matar a planta para usar a madeira.

Assim, abordaremos usos como alimentícia, alimento para a fauna, apícola (abelhas fazem colméia), artesanal, aromatizante, melífera (abelhas usam as flores para produzir mel), tanífera, corticeira, oleaginosa e ornamental. O primeiro conjunto de espécies são denominadas "espécies com potencial para a exploração sustentada em curto prazo", isso porque conseguimos encontrar na literatura informações sobre a biologia dessas espécies, podemos dizer que são mais conhecidas pela ciência.

 

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM CURTO PRAZO

2) BARU - Dipteryx alata Vogel. FAMÍLIA: FABACEAE

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, medicinal.

É uma árvore com 15m de altura (foto do lado esquerdo), casca lisa cinza-claro, folhas compostas alternas, inflorescência com flores hermafroditas, fruto drupa (foto abaixo), única semente marrom avermelhada, com poliembrionia (uma semente com vários embriões).

Floração: novembro a fevereiro; Frutificação: na estação seca. Flores polinizadas por abelhas (ver foto abaixo).

Ampla distribuição no Cerrado, sendo encontrada nos estados de GO, MA, MT, MS, MG, PA, RO e TO. Fitofisionomias: Cerradão e Mata. Pode-se encontrar até 5.000 frutos por árvore. A produção anual de frutos é irregular. A biologia reprodutiva é pouco conhecida.

Polpa do fruto (mesocarpo) pode ser consumida in natura. A amêndoa torrada possui usos variados. Valor nutricional – rica em ácido graxo essencial (ácido linoleico).

Produção de mudas via sementes, possui alta taxa de germinação. Sementes ortodoxas.

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM CURTO PRAZO

6) PEQUI - Caryocar brasiliense Cambess FAMÍLIA: CARYOCARACEAE

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, apícola, medicinal, ornamental.

É uma árvore (ver foto abaixo), mais de 10m de altura, folhas compostas opostas, trifolioladas, pilosas, flores hermafroditas (foto do lado direito), com 5 pétalas, frutos drupa (ver foto do lado direito inferior), 1-4 caroços polpa envolve caroço.

Floração: no final da estação seca; Frutificação:  maturação em meados de novembro.

Encontrada nos estados da BA, CE, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PI, PR, SP e TO. Fitofisionomias: Cerradão Distrófico e Mesotrófico e Cerrado sentido restrito.

Usos: folhas ricas em taninos e corantes, casca do fruto usada para produção de sabão, castanha é comestível e utilizada na fabricação de óleo e paçoca. Principal produto – polpa, rica em vitamina C e complexo B.

Sementes dormentes, baixa e lenta taxa de germinação(20-30%).

Planta autocompatível polinizada por morcegos (mas abelhas também visitam as flores! ver foto do lado direito superior).

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM MÉDIO PRAZO

2) MAMA-CADELA - Brosimum gaudichaudii Trécul. FAMÍLIA: MORACEAE 

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, aromatizante e medicinal.

É uma árvore com até 4m de altura, copa com ramos esparsos, folhas simples alternas dísticas (foto do lado direito superior), com exsudação branca (látex), flores pequenas sem pétalas agrupadas em inflorescências globosas (foto do lado direito superior), frutos agregados, globosos (fotos do lado direito superior e inferior) e verrucosos (foto do lado direito inferior), 1-2 sementes/fruto.

Floração: junho a novembroFrutificação: julho a dezembro.

Encontrada nos estados da AM, BA, DF, CE, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PI, SP e TO.

Fitofisionomias: Cerradão, Cerrado sentido restrito;

Usos: polpa consumida in natura, pode ser utilizada na fabricação de sorvetes, a seiva fermentada é consumida como vinho. Na medicina popular a casca e raízes produzem substância usada contra o vitiligo, também é expectorante, depurativa, diurética e desintoxicante.

Sementes recalcitrantes não toleram o frio e a dessecação.

Não se conhece as formas de polinização e a dispersão é realizada por aves e mamíferos.

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM CURTO PRAZO

5) MANGABA - Hancornia speciosa Gomes  FAMÍLIA: APOCYNACEAE

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, apícola, melífera.

É uma árvore, 2-10m de altura, copa espalhada, folhas simples, glabras ou pilosas, opostas com exsudação leitosa (látex), flores hermafroditas brancas, fruto do tipo baga (foto lado esquerdo). Planta decídua, perde suas folhas no período da seca.

Floração: agosto a novembro; Frutificação: de agosto a abril.

Encontrada em várias regiões no Brasil. Fitofisionomias: Campos, Cerrado sentido restrito, Cerradão.

Uso in natura, sucos, picolés, sorvetes, doces, geleias, etc. Polpa rica em ferro, manganês, zinco e vitamina C.

Fruto altamente perecível. Safra rápida por ano e com alternância de produção. Sementes recalcitrantes, para produzir mudas devem ser plantadas até 2 dias após despolpa.

É uma espécie auto incompatível, precisa de polinização cruzada.

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM MÉDIO PRAZO

1) JATOBÁ - Hymenaea stigonocarpa Mart. ex Hayne. FAMÍLIA: FABACEAE 

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, medicinal e melífera.

É uma árvore com até 10m de altura (foto do lado esquerdo - Douglas Borges), folhas compostas alternas, bifolioladas (foto abaixo lado esquerdo), pilosas, flores hermafroditas, com 5 pétalas, frutos do tipo legume indeiscente (cerca de 5 sementes/fruto) (foto abaixo lado direito).

Floração: outubro a abrilFrutificação: abril a julho.

Encontrada nos estados da BA, DF, GO, MG, MT, MS, PA, PE, PI, SP, TO e PA.

Fitofisionomias: Cerradão, Cerrado sentido restrito, Matas;

Usos: polpa farinácea rica em fibras e com alto teor energético pode ser utilizada na fabricação de bolos, pães, sorvetes e vitaminas.

Sementes com dormência física.

Planta polinizada por morcegos e vários animais realizam a dispersão dos diásporos (primatas, roedores e aves).

​ÁRVORES DO CERRADO - USOS MÚLTIPLOS

ESPÉCIES COM POTENCIAL PARA A EXPLORAÇÃO SUSTENTADA EM MÉDIO PRAZO

3) MURICI - Byrsonima verbascifolia (L.) DC.

FAMÍLIA: MALPIGHIACEAE 

Usos associados: alimentícia, alimento para a fauna, melífera, medicinal, tanífera e tintorial.

Arbusto ou árvore, 3-6m de altura, sem exsudação, folhas simples opostas, pilosas e coriáceas, estípulas axilares, flores amarelas (foto lado direito superior) com glândulas no cálice, frutos carnosos globosos, esverdeados/amarelos quando maduros (foto lado direito inferior), até 3 sementes/fruto.

Floração: agosto a dezembroFrutificação: outubro a fevereiro.

Encontrada nos estados da AL, AM, BA, DF, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PR, SP e TO.

Fitofisionomias: Cerrado sentido restrito, Cerradão, Campo Sujo, Parque de Cerrado.

Usos: polpa consumida in natura, pode ser utilizada na fabricação de sorvetes e licores. A casca é febrífuga, frutos são laxantes, ramos com folhas são anti-sifilíticos e diuréticos.

Sementes dormentes com baixa taxa de germinação.

Planta polinizada por abelhas grandes e dispersão por aves e mamíferos.

© 2018 Orgulhosamente criado por Sabrina Miranda com Wix.com